Técnicas de espionagem adaptadas a publicidade


Outra dia brincando em um projeto que ainda não matei mas não tenho dedicado muito tempo, o InterNeyShop, gastei um tempo olhando os produtos na categoria Espionagem.

É impressionante como a tecnologia disponível trouxe para o nosso dia-a-dia objetos que antes faziam parte dos filmes do 007, nossos celulares permitem fazer coisas que James Bond nem sonharia.

Espionar significa “observar secretamente, com o intuito de obter informações“. Conhecer o público alvo é base para uma boa estratégia publicitária, muitas técnicas de espionagem, antes restritas a governos com investimentos bilionários ou companhias multinacionais, agora estão disponíveis para o cidadão comum.

Talvez você não tenha a sua disposição os recursos do 007, mas com apenas alguns aplicativos e ferramentas online já dá pra bancar o detetive particular! 🙂

Email, a impressão digital da internet

Nos seriados de investigação encontrar uma impressão digital era sinal de euforia entre os investigadores, não sei como é a realidade mas sempre parece bom demais pra ser verdade a facilidade com que eles pesquisam digitais em bancos de dados.

Se você tiver um e-mail para começar sua investigação você pode ficar quase tão animado quanto eles. Usando o rapportive, um plugin que funciona com o Gmail no Firefox e no Chrome, você consegue saber quais as principais redes sociais atreladas aquele e-mail. Ou você pode simplesmente pesquisar na busca do Facebook, se a pessoa utilizou aquele e-mail para um cadastro você conseguirá encontrar o perfil correspondente. Às vezes uma simples busca no Google acaba revelando várias participações daquela pessoa em fóruns, blogs, lista de discussão e outras redes sociais. Com o número de telefone também dá pra fazer a brincadeira do Google e do Facebook.

Mas o que isso tem a ver com publicidade? Quantas vezes você não recebeu um e-mail pedindo dúvidas, ou um orçamento, onde a pessoa apresenta muito pouco de si mesma ou de sua empresa? Investigar um pouco em redes sociais ajuda você não só a descobrir onde ela trabalha mas também a conhecer um pouco do estilo de vida dessa pessoa.

E se você receber um e-mail de reclamação desse cliente e quer saber o que ele já compartilhou de você nas redes sociais, quem ele é, onde ele mora, o que faz da vida? Conhecer um pouco dos perfis de quem está reclamando ajuda você a criar mais empatia e atender melhor.

Apesar de ser um comportamento meio stalker/paranóico, dar uma pequena investigada antes pode te ajudar bastante numa venda, num atendimento e no networking em geral.

Monitoramento de redes sociais, o grampo eletrônico da publicidade

Nos filmes policiais quando alguém é suspeito seu telefone é grampeado para ouvir todas as conversas daquela pessoa, no mundo das redes sociais muitas dessas conversas são públicas e não precisam de grampos para serem acompanhadas. Porém com um software de monitoramento de redes sociais você pode ir um pouco além de “grampear” o que milhões de pessoas estão falando sobre um determinado assunto.

Obviamente quanto mais específico você for, ou quanto mais avançado for o software, melhor será o resultado dessa análise. Mas é possível hoje ir muito além do positivo/negativo/neutro. Você consegue monitorar os principais problemas e defeitos do seu produto e dos concorrentes. Os pontos fortes e fatores de decisão de compra de diversos produtos e grupos de consumidores. Um bom monitoramento te ajuda a tomar decisões estratégicas e não apenas acompanhar quem está xingando muito no twitter ou destruindo sua empresa no ReclameAqui.

Algumas ferramentas de monitoramento populares no mercado incluem: Scup, Zubit, Livebuzz, Seekr e Buzzmonitor entre outras.

Monitorar alguém por GPS? Já é possível!

Não sei se você já parou pra pensar, mas aplicativos como Wave, Google Maps, Runkeeper, Foursquare e outros que te ajudam a encontrar caminhos, lugares para ir ou simplesmente acompanhar sua rotina de exercícios, ficam mapeando sua localização regularmente. Com esses dados é possível traçar diversos perfis de consumo (com base nos estabelecimentos visitados), perfil socioeconômico (analisando onde a pessoa mora e trabalha) entre outras informações.

Criar um aplicativo que ajude alguém de graça pode te retornar informação valiosíssima para vender publicidade ou entender um grupo de consumidores e criar produtos e serviços personalizados para esses consumidores.

Você não precisa mais colocar um grampo escondido no carro deles, basta criar um belo aplicativo que existe até o risco deles pagarem por esse aplicativo e de quebra te darem acesso a todos os caminhos da sua rotina diária.

Agora que você já descobriu que é um espião pode começar a falar que você não faz criação de personas, você faz perfis, que você não faz análise de dados, você faz investigações, você não monitora, você coloca grampos na internet.

Não sei se te ajudei de alguma forma prática, mas tenho certeza de que seu trabalho ficará um pouco mais divertido daqui pra frente 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s